Dois mil e vinte

7 de jan. de 2021

Como de costume, sentar, refletir e escrever sobre as coisas que aconteceram esse ano. Infelizmente não há nenhuma viagem, não há muita foto, nem muito o que contar. Mas foi um ano bom (apesar do pesares), veja se você concorda comigo.

Nunca fui uma pessoa de acreditar muito em astrologia, influências espaciais ou coisas do tipo, mas esse ano me atentei ao que tinha visto sobre pessoas que falam sobre isso: "2020 será um ano sobre encerramento de ciclos, início de novas etapas". E foi exatamente o que aconteceu.

Ninguém estava esperando ser atacado por um micróbio e ficar sufocado dentro de casa durante vários dias, coisas assim acontecem, shit happens everyday. E então começaram muitos pensamentos reflexivos sobre mim, meu relacionamento, sobre o que eu queria para o futuro, sobre o meu atual trabalho, sobre como a internet me afetava ou motivos de ter abandonado coisas que gostava de fazer:


Uma nova relação com comida: me tornei vegetariano, por diversos n motivos; e a forma como comecei a me alimentar mudou completamente, assinando newsletters sobre receitas, seguindo gente e criando comida quase todo santo dia, ajudou nos vários dias de tédio da quarentena, ajudou a manter a sanidade, ajudou a entender que é possível/preciso deixar de comer animais.

Comecei a fazer colagens manuais, que era algo que sempre fazia em formatos digitais e foi interessante se reconectar com essa pegada manual, analógica. Me senti produtivo, gostava de passar essas horas sozinho com fone de ouvido e um bocado de revistas picotadas. 

Terminei um relacionamento de dois anos e então me olhei de uma outra perspectiva, me vi só, mas inteiro - percebi que não existe nada mais bonito que a possibilidade. Tem sido uma aventura, tem sido bom. Me conhecer, conectar. 


Comecei a morar, de fato, sozinho: e fazer algumas coisas que queria muito, decorar a casa e encher de plantas. Muitas plantas - e uma composteira, já não fazia mais sentido jogar comida (adubo) no lixo. 
Voltei a ler com afinco, coisa que não fazia desde o meio da faculdade. Decidi pegar os livros que estavam a eras parados na estante e tem sido cada surpresa maravilhosa, mas ao mesmo tempo decidi também vender todos os livros e dar espaço em casa, comprando apenas livros virtuais. Insano, mas apegado a essa ideia de consumir menos coisas físicas e mais experiências.


2020 foi um ano de surpresa & de ficar só, de curtir minha companhia (e da adele, claro), de abrir vinhos para tomar sozinho, de ficar o dia todo deitado na cama lendo um livro que eu gosto ou de apenas sair com um paninho e me jogar debaixo de uma árvore com a adele correndo de um lado para o outro.

Senti saudade dos amigos, das comidinhas, da minha família, senti até falta de trabalhar presencialmente. Acho que nunca estive tão distante das pessoas que amo, tem sido um dia de cada vez, processo por processo. Aprendizado por aprendizado. Às vezes com ligação em grupo da família, as vezes apenas áudios corridos no meio da noite. A saudade, meu pai, de sentar nas cadeiras de macarrão do meu avô e ficar ali tomando um café doce que só ele sabe fazer.

Esse ano abriu buracos que permitiu que novas coisas entrassem, novas amizades, novas experiências, permitiu que eu me desse a chance de provar novas coisas, novos sabores, novas possibilidades. Ainda que tenha sido um ano ruim, acho que consigo dizer que tirei algum proveito - entre surtos e desânimos. Juntei todas as forças para esse ano que vai se iniciar, me mantenho empolgado para o que o futuro aguarda. Tenho certeza que será bom.

Deixe um comentário

  1. Em 2020 tu se plantou, renasceu. Em 2021 tu já está se colhendo, novo e revigorado pronto pra viver coisas incríveis que estão por vir. Muito orgulho do teu caminho.

    ResponderExcluir
  2. meu deus migo eu me identifiquei tanto, TANTO com esse post, que você nem imagina. por aqui o ano acabou pendendo mais para o caos, do que para o lado bom, mas ainda assim consigo reconhecer suas coisas boas. também terminei meu relacionamento, de 4 anos, mas ainda não tem sido fácil. porém, como vc disse e concordo 100% "2020 foi um ano de surpresa & de ficar só, de curtir minha companhia (..) de abrir vinhos para tomar sozinho, de ficar o dia todo deitado na cama lendo um livro que eu gosto" é exatamente isso, só que no meu caso, com o charlie. amei o post <3

    ResponderExcluir

&
 



histórico infame © 2012 – 2020