quem foi de outrora

5 de out. de 2020

 já faz algum tempo que não escrevo.




há dias uma vontade de sentar, escrever e deixar desaguar as tantas coisas que tem acontecido nos últimos dias: se acostumar com a nova rotina, as dores no corpo de caminhadas constantes que permitem pensar & repensar na vida. a vida que já trouxe tanta reviravolta e surpresas e loucuras. o passado que tende a voltar pro presente (com boas surpresas), rever amigos da época de escola, de outro trabalho, da faculdade. o presente de ter amigos pra vida toda e que independente do quanto ficar sem conversar a essência da amizade está ali. 

tantos acontecendo e eu aqui, olhando para quem fui antes de ser hoje, revisitando alguns acontecimentos que permitiram solidificar quem sou - uma personalidade vinda de tantas outras experiências e matrizes e recortes. eu acho engraçado que quando 2020 entrou eu sabia que seria um ano transformador, que algumas coisas poderiam (e iriam) mudar, que novas metas seriam traçadas, que novos âmbitos e desejos seriam feitos ao percorrer - ainda que eu não soubesse da pausa que a quarentena causou (e ainda causa em alguns aspectos).

pausa. 

eu precisava dessa pausa pra entender perspectivas que não levavam a muitos lugares, entender os limites e os fins. para poder contemplar os inícios, recomeços e aventuras. tem sido (e será) diferente. 


Deixe um comentário

  1. esse ano tem sido pesado e parece difícil colocar na balança na expectativa de tirar coisas boas né? fico feliz quando consigo tirar algo bom, alguma reflexão, reencontro comigo mesma, etc etc etc. graças a sara consigo pelo menos não odiar o ano como um todo. mas é isso, pesado mas ainda assim cheio de mudanças, transformações. uma nova etapa, não é mesmo?

    ResponderExcluir

&
 



histórico infame © 2012 – 2020